30/04/2018

HQ: Lua do Lobo

Título: Lua do Lobo
Autores: Cullen Bunn, Jeremy Haun, Lee Loughridge
Editora: Selo Vertigo (DC Comics) - Panini Comics
Número de Páginas: 164
Ano: 2017
Minha Avaliação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
Skoob: Adicione

"É muito simples dizer que o lobo transforma carne e sangue. O lobo transforma vidas."

As histórias de lobisomens sempre fascinaram o imaginário popular. Lendas de pessoas que na noite de lua cheia se transformavam em um híbrido de homem e lobo existem desde que o mundo é mundo, lá na Grécia antiga já se especulava sobre (tanto que o termo lican vem de lá, da lenda de Licaão, um rei cruel que foi castigado por Zeus e transformado em lobo). Inclusive, durante muitos séculos se creditou muitos assassinatos ao mito do homem-lobo. 


Existe até uma doença mental, a licantropia, em que a pessoa acredita ser capaz de se transformar em lobos ou em outros animais. A maioria das histórias aponta o lobisomem como sendo uma pessoa amaldiçoada, que durante o período da lua cheia se transforma e ataca qualquer um que se puser em seu caminho, até mesmo um ente querido; ao amanhecer, ele/a volta a ser humano sem se lembrar dos seus feitos macabros. Aqui no Brasil, já ouvimos muito aquele papo de o lobisomem ser o sétimo filho homem depois de seis mulheres. Outras histórias também contam que uma pessoa que sobrevive ao ataque de um lobisomem acaba por ficar amaldiçoada.


O que sabemos de fato é que a lenda do lobisomem caiu nos gostos do povo. Visto como uma criatura ao mesmo tempo vilã e inocente, inúmeros livros, filmes, músicas, jogos e histórias em quadrinhos já trataram do assunto. O lobisomem é pop como o papa! E por falar em HQs, neste último fim de semana eu li Lua do Lobo, uma HQ escrita e desenhada por  Cullen Bunn e Jeremy Haun, e publicada pelo selo Vertigo, que eu roubei peguei emprestada do amigo Pedro. E que HQ, meua migo! O enredo de Lua do Lobo segue um pouco do que já conhecemos das lendas clássicas de lobisomens. Mas possui algo a mais: aqui, não é uma maldição que se transfere de pai para filho ou porque foi ferido e sobreviveu. A coisa é mais sinistra: o Lobo é um espírito que passa de pessoa pra pessoa, escolhendo suas vítimas.

"Às vezes eu me pergunto por que não botei o revolver na boca durante o dia... enquanto o Lobo dormia. Depois do que fiz, eu merecia morrer. A ira... A fúria... A sede sangue... Tudo vinha do Lobo... Mas o instinto de sobrevivência... A ânsia de viver... Imagino que pelo menos uma parte disso venha do lado humano..."

A cada ciclo lunar, uma pessoa diferente se transforma na criatura, e ataca principalmente as pessoas que mais ama. Ao acabar o ciclo, o Lobisomem escolhe uma próxima vítima, sem distinção de sexo, cor, idade, credo... E o/a último/a pobre coitado/a que passou por isso tem que conviver com a culpa e as memórias das atrocidades que cometeu e das pessoas que perdeu. E assim, por termos um lobisomem por vez, a coisa fica mais complicada de ser exterminada.


Muitas pessoas que já se transformaram não conseguem conviver com a culpa. Outros são mais fortes. Alguns se tornam caçadores dedicados a perseguir o monstro que destruiu sua vida e a de todos ao seu redor. Neste primeiro volume (que é um compilado das edições 1 a 6) conhecemos Dillon Chase, um homem que perdeu todos que amava quando se transformou em Lobo, e atualmente dedica-se a caçá-lo. Sua busca se estende por todos os Estados Unidos, e vemos também suas dificuldades. Afinal, como pegar um espírito que só se manifesta na lua cheia e pode estar em qualquer pessoa? E, por isso mesmo, como matar uma pessoa inocente, só por que infelizmente ela está possuída pelo ritmo ragatanga espírito do Lobo?

"Se eu não matar essa coisas, quanta gente mais ele vai massacrar? Não tenho que gostar do que eu faço, mas faço o que tem que ser feito!"

O que se sabe sobre o Lobo é que seu fraco está na prata (como na maioria das lendas que já conhecemos). Balas e artefatos prateados são capazes de enfraquecer o bichão. E é munido deste conhecimento que Dillon caça o Lobo desde o que aconteceu com ele mesmo, tentando por um fim no rastro de sangue e violência que o lobisomem deixa por onde passa. E a HQ não nos poupa: prepare-se para ver tripas pra fora, cabeças rolando, dentes afiados rasgando corpos, MUITO sangue e violência MESMO! 


Porém, Dillon não é o único caçador do lobisomem por aí; existem outros, os quais já nem se importam mais com quem se intromete em seus caminhos; o que estes querem é acabar com o Lobo a qualquer custo. E para piorar, tudo indica que o Lobo não é o único predador insano dessa história. Existem aqueles que farão de tudo para possuir poder de ser o Lobo novamente. 

"Da próxima vez ele morre e não interessa quem morre junto!"

A HQ é fantástica, como diz a revista Wired. O pano de fundo pode ser a lenda dos lobisomens, mas ela foi apenas utilizada para nos mostrar como lidamos com os problemas que permeiam nossas vidas. Alguns os repudiam, ou tentam simplesmente esquece-los, enquanto outros se corrompem. O que mais me impressionou também não foi só a parte física da edição (as cores quentes, a violência, as frases de impacto), mas o fato das principais vítimas do Lobisomem serem eles mesmo, e não somente os que morriam em suas mãos. Alguns ficam loucos, outros depressivos, angustiados, e uns até fanáticos.  


E para completar, o final da HQ possui um plot twist de cair o queixo. Já necessito urgentemente de uma continuação. Apesar da história aparentemente ter sido concluída, a última página lhe deixa com esse gostinho de quero mais (não encontrei nada afirmando se teria continuação). Se você gosta de histórias de lobisomens, não tem nojo de sangue e entranhas à mostra, e ainda, de histórias focadas nos personagens, leia Lua do Lobo!  Boa leitura!


Segue algumas imagens do começo da história da HQ pra te deixar sedento/a (clique para uma melhor visualização):

 






















Peguei lá no Omelete


6 comentários:

  1. Gente do céu que quadrinho lindo já quero ele na minha mesa Acabei de adicionar a lista de desejados e gente do céu que ilustra ações lindas são essas Adorei essa edição da Panini

    ResponderExcluir
  2. Olá Mari,
    Não conhecia sobre essa HQ e fiquei muito curiosa pra ler depois da sua resenha.
    Gostei de saber que diferente das estórias que estamos habituados sobre lobisomens nesse HQ já que o lobisomem é considerado um espírito e escolhe pessoas diferente toda vez
    Pelas fotos parece ser uma estória bem forte.
    Vou procurar pra ler.

    ResponderExcluir
  3. Mariana, sou sempre atraída por histórias sobre vampiros e lobisomens.
    E o legal desse HQ que há um diferencial na lenda desse ser horrendo. Não se sabe quem será a próxima vítima.

    Faz bastante tempo que não leio um HQ. E quem sabe eu não comece por esse?
    Espero ler em breve. :)

    ResponderExcluir
  4. Oi Mari,
    Adoro lobisomens, normalmente sempre me interesso por histórias sobre eles, e como essa começa falando de todas as característica, até um pouco sobre a origem claro que já me interessei. Não sou fã de hq's, talvez por quase não ter oportunidade de ler, mas essa... fiquei babando, esses tons de vermelho são lindos!
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Tbm sou apaixonada por lobos, mas gosto mesmo é dos malvados e cabeças rolando. Gostei bastante do enredo e de Dillon querendo vingança, mesmo que por remorso, e foi isso que mais me chamou a atenção. Ele não quer que o que aconteceu com ele aconteça a mais pessoas. E vc falou do plot twist... menina, que reviravolta é essa?!

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    Gosto muito de livros, series, filmes que tenho Lobisomem como tema, sempre fico atras de algo novo, ainda não conhecia essa HQ, mas achei bem interessante principalmente por essa nova mitologia que ela trás do lobisomem como um espirito, irei procurar essa HQ para ler !!

    ResponderExcluir

Nos diga o que achou:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...