23/03/2016

Livro: Piratas - Uma História Secreta

Título: Piratas - Uma História Secreta
Autor: Fernando Moretti
Editora: Livros Escala
Ano de Publicação: 2009
Número de Páginas: 176
Minha Avaliação: ♥ ♥ ♥
Skoob: Adicione

"Quem tentar fugir ou guardar segredo do resto da tripulação, será deixado numa ilha deserta com um saco de pólvora, uma garrafa de água, uma pistola e munição."

Ao pensarmos em piratas, lembramos daqueles homens barbudos de sabre em punho, chapéu ou bandana na cabeça, tapa-olho, gancho em uma das mãos, pernas-de-pau, botas de cano longo e até um papagaio no ombro. Com exceção dos papagaios, os piratas de antigamente eram assim mesmo. Ser pirata no século XVII era uma "profissão" de alto risco, já que a punição para aquele que fosse capturado era a morte, na maioria das vezes na forca, sem piedade. Então por que tantos homens se sentiam atraídos por esse desafio? O livro de Fernando Moretti - "Piratas - Uma História Secreta" - nos mostra o porquê.

Muitos homens (e até algumas mulheres) eram atraídos para pirataria principalmente pelo dinheiro fácil e infestaram os mares durante os séculos XVII e XVIII. A maioria se concentrava no Golfo do México - composto pelas ilhas da Jamaica, Tortuga e São Salvador - onde muitos galeões espanhóis atravessavam os mares cheios de ouro - um verdadeiro banquete para a pirataria. Essa explicação é o que consta da introdução do livro, que também nos explica de onde vem a palavra "pirata": quer dizer tratante, ladrão, patife, canalha. Eram aqueles que pilhavam valores alheios para obter lucro, sem preconceito. Hoje em dia, ainda se pratica a pirataria semelhante à do século XVII, com diferenças apenas no armamento - a exemplo dos piratas somalis que pilharam cargueiros no Golfo de Áden e no Mar da Arábia no fim de 2008 (virou até filme, "Capitão Phillip" conta essa história). Mas o termo hoje se refere mais a qualquer um que viole alguma coisa, como os piratas do ar ou os de informática. 

Voltando aos ancestrais, Moretti também nos conta que o ramo da pirataria começou mesmo mais cedo, no tempo em que o comércio começou a se desenvolver entre as nações do Mediterrâneo. Os filisteus foram um dos primeiros a tentar, atacando a frota do faraó Ramsés III, sem sucesso. Teve também fenícios, gregos e até os vikings. 

Outros termos para a pirataria também foram usados. Existiram os bucaneiros, os filibusteiros e corsários. Apenas algum detalhe os diferenciavam dos piratas comuns, mas todos pilhavam alguma coisa. Os corsários, por exemplo, eram piratas que recebiam o perdão de um rei em troca de "trabalhar" para ele; recebiam a tal carta de corso que autorizava a pilhagem de um navio de outra nação. Sir Francis Drake foi um exemplo famoso de corsário: virou até cavaleiro, título concedido pela rainha Isabel I da Inglaterra. Durante a maior parte do livro, somos apresentados a vários piratas famosos, como Henry Morgan, William Kidd, John Rackham, René Duguay-Troin, Jean Lafitte, Bartholomew Roberts, e as duas mulheres mais famosas da pirataria, Mary Read e Anne Bonny. 

O livro ainda traz alguns detalhes sobre os tipos de armas e canhões utilizados pelos piratas, histórias sobre os ataques de piratas no Brasil, os tipos de bandeiras piratas (as chamadas Jolly Rogers), e claro, os piratas do cinema - quem não pensa em Johnny Depp de Jack Sparrow quando ouve falar em piratas? Ops, Capitão, desculpe! Mas o primeiro filme sobre Piratas foi  "A Ilha do Tesouro", de 1912! Um dos meus preferidos também foi "A Ilha da Garganta Cortada", com Geena Davis interpretando a pirata Morgan Adams. Literatura também é citada, principalmente os quadrinhos (vide as imagens no final do post). O fim do livro possui um glossário para os termos relacionados a pirataria e a navegação. 

Eu daria quatro corações a este livro se não fosse um detalhe: os erros de digitação e de edição. Há muitos, isso acaba com o ânimo de ler o livro. Infelizmente a editora pecou nesse detalhe. Mas de qualquer forma, o livro tem uma linguagem bem fácil e divertida, pontos pro autor, e é muito bem ilustrado. Recomendo para aqueles que gostam de ação, assaltos a fortalezas, batalhas navais, aventuras, estratégias de combate, valentia, traição, lutas de espadas, fuga de prisão, ilhas desertas, tesouros e surpresas. Parece até  enredo de filme épico, mas foi enredo de vida real mesmo. Boa leitura!

Algumas imagens (clique nelas para uma melhor visualização):









Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nos diga o que achou:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...