18/09/2012

O Vampiro que Descobriu o Brasil


Livro: O Vampiro que descobriu o Brasil
Autor: Ivan Jaf
Editora: Ática
Ano: 1999
Número de Páginas: 125
Minha Avaliação: ♥ ♥ ♥ ♥
Skoob: Adicione

“O verdadeiro vampiro é o tempo, é ele que suga a vida, mesmo a dos vampiros que parece eterna, mas que pode acabar”.
O Vampiro que descobriu o Brasil conta a história de Antônio Brás, um comerciante, proprietário de uma taberna que funcionava no porto da praça principal de Restelo, a pouco mais de uma légua de Lisboa. Porém numa certa noite é atacado por um homem velho e esquisito que lhe morde o pescoço, cravando os caninos em sua jugular e o deixando caído abandonado. Depois do incidente, Antônio acorda se sentindo muito bem disposto, mas sem entender porque o vinho tinto rascante e as lascas de bacalhau fritas no azeite que tanto adorava não lhe descem mais pela garganta, e porque sob o sol sua pele se queimava.

Ao devorar uma ratazana viva, Brás percebe que suas forças se revigoram e também toma consciência do que acaba de fazer e em meio ao pavor da situação se depara com Domingos, o qual lhe dá a notícia de que, assim como ele, Antônio agora era um vampiro. Domingos lhe explica que agora ele precisa se alimentar de sangue e não pode mais sair ao sol, e que ele fora atacado pelo mais poderoso dos vampiros, um já bem antigo que tem a habilidade de possuir um corpo humano. O Velho, como é conhecido, que lhe atacara estava possuindo um comandante que logo partiria de Lisboa para as expedições na Índia. A única forma de reverter sua situação era conseguir enfiar uma estaca no peito do vampiro que lhe transformara e aspirar suas cinzas. Como não sabia em que corpo estaria o Velho, mas que seria em alguém importante das caravelas, Antônio embarca na expedição de Pedro Álvares Cabral que rumava para a Índia, mas acaba chegando à terra que hoje é conhecida como Brasil.


Antônio circula por várias regiões do Brasil, vivencia diversos momentos históricos, esbarra com o Velho de vez em quando, mas suas tentativas são em vão. No entanto, Antônio não desiste, a saudade de lascas de bacalhau fritas no azeite e de vinho tinto rascante é muito maior. Brás presencia os acontecimentos que marcaram a história das relações políticas e externas do Brasil. Desde a exploração do pau-brasil, o início da colonização e escravidão, exploração de minérios, abolição da escravatura, o golpe militar de 1964 e todo o processo em que passa o país com o progresso e decadência da ditadura militar, com a abertura da política, inclusive o movimento das Diretas Já. Mas nunca se envolveu diretamente com os acontecimentos, apenas era um espectador sempre presente.

Durante 500 anos, Brás tenta sem sucesso se encontrar com o Velho para lhe dar cabo e conseguir voltar a ser humano. E se habitua cada vez mais a vida nova de vampiro, sempre se alimentando de animais.

"Um dos problemas em ser vampiro antes da invenção da luz elétrica é que a maioria das coisas importantes acontecia de dia".

A história em si não tem como foco os vampiros, mas segundo o autor, era preciso um imortal, um vampiro, para contar suas experiências, uma versão particular da história do Brasil.

É uma leitura leve, infanto-juvenil, que detalha a História do Brasil de forma cômica e interessante, sem ser chato. O final é bem inesperado! Uma curiosidade interessante é o surgimento da lenda da mula sem cabeça, que na história do livro é uma mula que serviu de alimento para Antônio, e que teria se tornado vampira. O animal começou a atacar cavalos e foi surpreendido por soldados que, aprisionando-o, cortaram sua cabeça, surgindo assim a famosa mula sem cabeça. Não está no meu hall de favoritos, mas foi um livro que gostei muito na minha adolescência, então recomendo. Boa leitura!


2 comentários:

Nos diga o que achou:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...